COMITÊ DE DEFESA DA REVOLUÇÃO CUBANA - INTERNACIONALISTA O CDR-I é uma entidade de apoio e defesa da Revolução Cubana e do Socialismo, atuando em diversas cidades, como Vitória, Belém, Goiânia... Qualquer pessoa pode participar das atividades do CDR-I, independentemente de idade, grau de instrução, partido político, religião etc. O único requisito para participar do CDR-I é defender a Revolução Cubana e o Socialismo. (Site nacional: http://cdribrasil.sites.uol.com.br/)

10.27.2006

Casa de las Américas

Portal Literal - 27/10/2006

A instituição cubana Casa de las Americas, que patrocina e divulga trabalhos de escritores, músicos e estudiosos de literatura da América Latina e do Caribe, promove a 48ª edição de seu prêmio literário. Autores brasileiros podem concorrer com livros publicados em português nos anos 2005 e 2006 (primeira edição), nos gêneros de ficção (romance, conto ou poesia). O vencedor leva US$ 3 mil e a publicação da obra. As obras devem ser enviadas à Casa de las Américas (3ra. Y G, El Vedado, La Habana 10400, Cuba), ou qualquer das Embaixadas de Cuba até 31 de outubro. Os jurados se reúnem em Havana em janeiro de 2007 para decidir o vencedor. Informações no site.

>> Leia mais

Mostra de Cinema Latino-Americano

Manifesto de Solidariedade ao Povo Cubano

O Comitê de Defesa da Revolução Cubana – Internacionalista do Espírito Santo, Brasil, junto às entidades e pessoas abaixo relacionadas, manifesta sua mais total e irrestrita solidariedade a Cuba e ao Povo Cubano. Somos solidários às conquistas obtidas por esse bravo e heróico povo, que sofre cotidianamente as agruras de um impiedoso e cruel embargo econômico patrocinado pelos Estados Unidos, como tentativa de quebrantar a certeza socialista que existe na alma e vida dos cubanos e cubanas.

A situação de saúde do presidente Fidel Castro tem sido usada como pretexto para uma tentativa de se fazer acreditar no fim do socialismo em Cuba. Enganam-se a imprensa internacional e o governo estadunidense. O povo cubando não permitirá o retorno do país à condição subalterna de bordel e paraíso das máfias instaladas nos Estados Unidos.O povo cubano também se prepara para evitar que suas imensas conquistas sociais sejam dizimadas pela sanha imperialista que alimenta Washington e que tem impingido fome, sofrimento e morte a vários outros povos no planeta.

SOMOS SOLIDÁRIOS A CUBA E AO POVO CUBANO PORQUE

  • Porque consideramos, por princípio e ideologia, o socialismo como o melhor e único sistema capaz de atender às necessidades básicas de toda a população e às condições necessárias para o desenvolvimento da capacidade plena de cada ser humano;
  • Porque o caminho dos povos da América Latina tem uma mesma origem e uma mesma direção. Fomos todos colonizados pela exploração com a mesma função, subalterna e determinada pelo interesse do capital internacional, mas podemos e devemos nos juntar nessa tarefa de construção de uma alternativa a partir de nossas próprias necessidades e potencial;
  • Porque nossa base cultural comum, que permite à identidade latina continuar sempre se renovando e diversificando, tem em Cuba uma fonte de inspiração para a articulação e construção de um sistema adequado à mentalidade e cultura do povo latino americano;
  • Porque temos nos heróis cubanos René González Sehwerert, Ramon Libañino Salazar, Antonio Guerrero Rodríguez, Geraldo Hernández Nordelo e Fernando González Llort, prisioneiros há oito anos quando lutavam pelo nosso sonho na própria trincheira do inimigo, um exemplo de patriotismo e de luta pela construção do socialismo;
  • Porque queremos que Cuba continue a avançar e não retroceda à condição de quintal dos Estados Unidos: que não volte mais a ser local de deleite barato para os norte-americanos, que não se torne paraíso fiscal, que não sofra as conseqüências virulentas do narcotráfico, que não volte a conhecer a fome, a violência urbana, nem seja espoliada de suas riquezas naturais;
  • Porque reconhecemos as experiências cubanas como referência para a promoção do desenvolvimento social e igualitário, experiências que nos mostram a possibilidade real de garantir saúde e educação de qualidade para todos, a possibilidade efetiva de colocar a tecnologia e o aparato do Estado a serviço desses ideais, e não mais em benefício das classes abastadas;
  • Porque Cuba é um país em que o governo soube fazer a educação pública, gratuita e de qualidade para todos, sem qualquer exceção. Cuba tornou-se uma sociedade cujo vigor se encontra em seu próprio povo. Povo esse que, como todos nós, constitui a América Latina em busca de sua própria autonomia;
  • Porque somos socialistas, e somos socialistas porque somos uma enorme massa que sabe, vê e sente a enorme e inexorável desigualdade e exclusão social produzida pelo sistema capitalista.
Ao manifestarmos nossa solidariedade a Cuba e ao Povo Cubano, tornamos também público o nosso repúdio à forma como a maior parte da imprensa, os Estados Unidos e seus lacaios têm tratado a questão da saúde do presidente Fidel Castro. E afirmamos nossa convicção de que o Povo Cubano, ainda que pranteie seu grande líder, não abrirá mão das conquistas sociais e não aceitará sucumbir à barbárie capitalista que os estadunidenses querem impor ao país.

CDR-I / ES
Outubro de 2006

Subscrevem este manifesto
  • Sindicato dos trabalhadores dos Estabelecimentos Bancários do Espirito Santo
  • Central Única dos trabalhadores do Espírito Santo - CUT/ES
  • Sintracical
  • Sindicato do Mármore
  • SISPMC (Servidores Municipais Colatina/ES)
  • Sindicato Comerciários
  • Sindijornalistas/ES
  • Sindilimpe-ES
  • Sindiupes
  • Sintraconst/ES
  • Sindibancários
  • Sindimetal/ES
  • Sindprev/ES
  • MNLM
  • DCE/UFES
  • Contraponto (Movimento Estudantil)
  • Movimento dos Trabalhadores Sem Terra
  • Instituto ELIMU
  • Mestrado em Políticas Sociais da UFES
  • Brice Bragatto (Deputada Estadual PSOL/ES)
  • Iriny Lopes - Deputada Federal (PT/ES)

XIII Feria Internacional del Libro, em Cuba

O livro e a leitura foram um dos temas recorrentes nas discussões da "Semana Cubana", sendo ressaltadas principalmente suas conexões com o mundo da Literatura e da Educação. Além de termos sido melhor informados a respeito da circulação de livros (e de idéias) em Cuba, tivemos ampliado nosso interesse em conhecer ações realizadas no país em prol do livro e da leitura. Por isso, trazemos aos capixabas alguma informação sobre um dos principais eventos da área realizado em Cuba.

Em fevereiro de 2006 foi realizada a XIII Feira Internacional do Livro, em Cuba. De acordo com o jornal Granma, houve a participação de 250 editoras, representando 24 países. A Feira deste ano aconteceu entre os dias 15 de feveireiro e 07 de março, naFortaleza de San Carlos de La Cabaña, estendendo-se a outras 33 cidades cubanas.


BRASIL, PRÓXIMO CONVIDADO DE HONRA
O Brasil, seus escritores, suas organizações editoriais, suas publicaciones, seus produtores editoriais, serão os principais participantes da XIV Feria Internacional del Libro, que acontecerá em Habana e outras cidades cubanas em fevereiro de 2004.
A indicação do Brasil como país convidado de honra da Feira, segundo seus organizadores, deve promover um conhecimento mais aprofundado, por parte dos leitores cubanos, de uma das culturas latinoamericanas mais singulares.

Mais informações...

Acompanhe de perto o que acontece em Cuba


Visite o site Granma e acompanhe o desenrolar das questões de relevo sobre a luta cubana.

Exposições Fotográficas

As esposições fotográficas "Cotidiano de Cuba" e "Olhar sobre Cuba" fizeram parte da programação cultural da Semana Cubana.



"Olhar sobre Cuba", com fotos de Débora Gusmão, foi apresentada no espaço entre os prédios IC-II e IC-III, na Ufes, Campus Goiabeiras. "Cotidiano de Cuba" apresenta trabalhos dos fotógrafos Leandro Queiroz e Sérgio Cardoso, até o dia 31 de outubro, na Assembléia Legislativa do ES.

Aqui seguem alguns textos de divulgação das exposições:

Exposição de fotos na Ales mostra o cotidiano de Cuba
O dia-a-dia de Cuba pode ser conhecido por meio das lentes dos fotógrafos Leandro Queirós e Sérgio Cardoso na exposição “Cotidiano”, que acontece no hall de entrada da Assembléia Legislativa.

Ao todo, são 20 fotografias coloridas e preto e branco, no tamanho padrão de 30x40, que retratam o cotidiano da vida cubana nos anos de 2000 e 2002.

A exposição faz parte das atividades em comemoração ao 10° aniversário do Comitê de Defesa da Revolução Cubana Internacional do Espírito Santo. Durante toda a semana acontecem exposições fotográficas, mostra de cinema e o fórum 'cuba limites e possibilidades', que prossegue até sexta-feira (27).

Os fotógrafos Leandro e Sérgio são capixabas e explicam que a mostra faz parte da “Brigada de Solidariedade à Cuba”, que consiste numa campanha internacional de ajuda à Cuba para que a população do mundo inteiro possa conhecer um pouco mais a realidade de um país que vive sob o regime socialista.

o público pode conferir a exposição até o dia 31 de outubro, das 8 às 19 horas.
(Link original)

Intercâmbios & Solidariedades

O CDRI/ES abre seu blogue em plena "Semana Cubana: Intercâmbio e Solidariedade". O evento contou com a presença de Reynaldo Feijoo, representante do Instituto Cubano de Amizade entre os Povos no Brasil (ICAP), e teve uma breve participação do Embaixador Pedro Mosquera e da Embaixatriz Maria del Carmen Orellana Alvarado.

Nos próximos dias, reuniremos aqui dados e imagens das atividades realizadas. Hasta luego,

CDRI/ES